fbpx
Close
Type at least 1 character to search
Voltar ao topo

Estúdio Cocada

DICAS DE REFORMA: AS 10 DICAS DE REFORMA QUE VOCÊ PRECISA SABER PARA NÃO TER DOR DE CABEÇA

Todo mundo já escutou que reformar e construir é sinônimo de dor de cabeça, um bicho de 7 cabeças, mas se isso não for verdade e puder ser evitado? Nesse artigo te daremos 10 dicas de reforma para não ter stress, sem surpresas e ficar dentro do orçamento planejado.

1.Procure um profissional qualificado para o que você precisa.

Arquitetos, engenheiros e designers de interiores não são mais profissionais exclusivos da alta classe social. São profissionais indispensáveis para qualquer atividade de construção civil. Seus encargos chegam até 15% do valor total gasto na obra. 

Esses profissionais conseguem ter uma visão técnica, por que esta é a sua área de atuação, além de se responsabilizar por todo o processo. Preocupam-se com elementos que normalmente passam despercebidos por você. 

Existem normas de construção que devem ser seguidas, são códigos de obra relacionadas ao local da construção como PDOT, NBRs, PDL, dentre outras dependendo da região da construção. Existem também, normas relacionadas a função daquela edificação nos casos de reforma comercial.

Procure por profissionais especialistas na sua necessidade ou que melhor se encaixem com o seu perfil: indicações ou pesquisas são ótimas alternativas para encontrá-los. Porém, busque antes de fazer a contratação conhecer a fundo o trabalho do arquiteto, buscando conhecer seu portfólio ou até visitando seus projetos já executados.  Por exemplo, se você fosse nos contratar, eu diria para antes entrar no nosso site www.estudiococada.com.br e ver se a nossa proposta está associada a sua, se sim, fecharíamos um belo negócio!

2.Mais planejamento é igual a menos dor de cabeça.

Tenha em mãos todos os documentos necessários para  construir ou reformar. Desde a reforma de um apartamento pequeno,  a reforma de um lavabo ou layout de escritório. O projeto funciona como um manual de montagem. Nele deve estar descrito todos os materiais que você precisa comprar, todos os ambientes que serão criados ou reformados, e todas as atividades que serão executadas na sua obra. 

É importante ressaltar a importância de ler o projeto e ter domínio sobre ele. Até mesmo porque o momento de se fazer algum ajuste é esse, e não quando sua obra já estiver em andamento.

Lembrando que outros profissionais estarão executando a sua obra, é importante que eles tenham o projeto à vista, para que o mesmo sirva de guia e para tirar todas as dúvidas que possam surgir durante a execução.O escopo de projeto, por mais trabalhoso que pareça, deve ser feito, e também pode ser delegado para o profissional que está fazendo o acompanhamento da obra junto a você. Ele te ajudará em quase todos os passos seguintes. Descrevendo em texto tudo o que precisa ser feito.

3.Gerencie as sua expectativas. Entenda esses 3 pilares.

Muito se discute sobre o CUSTO do projeto e da obra, o TEMPO em que eles levarão para ficarem prontos e sobre a QUALIDADE dos mesmos. Esses três elementos estão diretamente relacionados, uma vez que você coloca alguns deles como prioridade, como por exemplo:

  • Se você quer uma obra em um TEMPO CURTO, ALTA QUALIDADE, provavelmente você terá um ALTO CUSTO. Se não estiver disposto a pagar o preço, o que você terá é uma obra rápida e com BAIXA QUALIDADE;

No caso de ter pouco dinheiro para investir na sua reforma, preze por uma mão de obra de qualidade e materiais mais baratos. Hoje o mercado nos proporciona um leque de vários materiais mais acessíveis. Um exemplo, são as  pedras, como granitos e mármores nacionais. Gerencie as sua expectativas, se você está contratando algum profissional “barateiro” no qual você não conhece o trabalho. Provavelmente, ele vai  entregar o produto final, mas não com os devidos cuidados e com a qualidade de um profissional que tenha mais experiência no tipo de serviço acordado.

4.Orçamentos? Quanto custa?

Essa etapa pode acontecer em paralelo com a de planejamento, ou até mesmo antes- na parte de projeto. É importante entender até aonde o seu dinheiro consegue ir, logo, é interessante fazer o projeto já em cima de um valor pré-acordado. Quando esse procedimento não pode ser feito, a outra alternativa é fazer o projeto e orçar ele logo em seguida. Você pode fazer isso através de cálculos estimativos, como por exemplo, estimamos que o m² de reforma em Brasília custa cerca de R$ 1.200,00 e o m² para construir do zero custe por volta de R$ 2.000,00.

  • Você quer uma casa com sala, cozinha, três quartos e térrea, faça uma projeção de uma m², por exemplo 300m² e faça o cálculo estimativo.

Existem vários sites que te dão embasamento de valores para cada atividade que você deseja desempenhar. O dados mais utilizados, são os dados do CUB (Custo Unitário Básico da Construção Civil). Ele é atualizado mensalmente pelo Sinduscon (Sindicato da Indústria da Construção Civil), englobando o Brasil inteiro. O próprio site gera um relatório, mostrando os valores para construção de baixo, médio e alto padrão.

Outro ponto que deve ser levado em consideração é o quão personalizado será o seu projeto. É de alto padrão? Você precisará de uma mão de obra específica? Qual o seu sistema construtivo? 

Quando falamos exclusivamente de reformas pequenas e de padrão médio, uma boa proporção para nos balizarmos, seria 50% de material e 50% de mão de obra. E no caso de reformas de alto padrão, 70% de material e 30% de mão de obra.

5.Lista de compras.

Neste tópico reforçamos a importância de ter em mãos tudo que você precisa para executar sua obra. Abra o seu projeto, seu planejamento ou seu escopo e descreva tudo o que deve comprar e anote as pendências. Se possível antes de comprar pesquise os valores para não ficar a mercê dos vendedores das lojas. 

Dependendo da sua situação, os bancos tem várias linhas de crédito que podem te ajudar. Mas, o que aconselhamos é, compre à vista, sua margem de negociação será muito mais alta e dependendo da compra poderá conseguir até 30% de desconto no produto. -MAS, PRESTE ATENÇÃO- cuidado com os prestadores de serviço, aconselhamos sempre deixar uma porcentagem para ser paga só na entrega do seu espaço, por segurança, para garantir a entrega.

Para te auxiliar, além da lista de compras, leve imagens do 3D do projeto, na hora você pode achar um material similar ao especificado e com um preço muito melhor.

6.Cronograma, entenda o que esta acontecendo.

Agora que você entende tudo que deve ser comprado dos materiais, todas as atividades que deverão ser desempenhadas para a execução da obra, é hora de entender quanto tempo cada uma delas dura e em qual ordem ela deve ser executada. No caso do DIY, naturalmente, será muito difícil descrever cada uma de suas  atividades. É normal, fazer de forma mais genérica, desde que te dê uma prazo estipulado por semana, por exemplo:

  1. Demolição;
  2. Preparação do contrapiso;
  3. Remanejamento de pontos hidraulicos e eletricos;
  4. Instalação de bancadas e assentamento do piso;
  5. Assentamento porcelanato cozinha;
  6. Assim por diante…

Não coloque prazos muito justos, conte sempre com uma margem de segurança e tente antecipar o máximo de imprevistos possíveis. Por exemplo, se você está em um período chuvoso -atrasa atividades como pintura de paredes ou cura do concreto-, feriados, horário de obra -em caso de condomínios e espaços comerciais.

Ressaltamos a importância do diálogo com os profissionais que estarão participando da obra. É de suma importante que todos estabeleçam seus prazos, não aceite respostas como “depois resolvemos”, “depende disso ou daquilo”, não podemos prever tudo, mas o profissional pode te dar uma resposta com uma margem maior.

Existem inúmeros modelos de cronogramas na internet, experimente um.

7.Mão de obra, a sua equipe de execução.

Vamos falar das alternativas que existem para a execução da obra. Construtoras e empresas especializadas em reformas são o ideal, apesar do preço mais elevado. A outra alternativa é contratar apenas um mestre de obras. De qualquer forma, procure recomendações ou visite clientes anteriores, isso te mostrará muito sobre eles- nível de acabamento, qualidade da entrega, dentre várias outras coisas. 

Desconfie de preços muito baixos, provavelmente não vão entregar tudo e, logo, terá vários adicionais durante o processo. 

Tenha uma comunicação clara e objetiva com as pessoas que o executarão, deixe bem claro que é perfeccionista e não tolera entregas ruins, exija qualidade, de acordo com o que está pagando. Lembre-se o que é óbvio para você, as vezes para eles não é.Faça questão de acompanhar de perto o processo. É melhor responder várias perguntas do que ter que refazer algum serviço já finalizado. Não é mesmo?

8.O lugar da obra.

Certifique-se de que todos os materiais da obra estarão lá de acordo com as necessidades deles (cronograma), ou coloque todos já no início. Não deixe que sua obra atrase por falta de materiais e ferramentas. Nesse momento você trabalha como um facilitador, responsável com que todos os pedreiros e colaboradores se preocupem unicamente em executar seus serviços.

Em contrapartida, no caso de reformas, o ideal é deixar o ambiente único e exclusivamente para os pedreiros. As vezes pessoas de fora podem distraí-los e atrapalhar sua produtividade. Muitas vezes deixamos algum eletrodoméstico ou armário, dependendo do ambiente, aconselhamos a retirá-los também, não é garantia do prestador de serviço que ele terá cuidado com seus móveis (movê-lo para um lado e movê-lo para outro, pode acabar danificando-o).

Quanto ao contexto da obra como um todo, exige limpeza e organização, que façam isso, diariamente, mesmo que percam 30 minutos do dia.

9. Supervisione a sua obra, não deixe na mão de terceiros o que é seu!

Antes de tudo, supervisionar obra não é fácil, são muitas atividades sendo executadas e muitos detalhes técnicos. Mas alguns deles, não podemos deixar passar despercebidos, vamos listar algumas das atividades que você deve se atentar para poder cobrar na sua obra:

  1. Armazenamento de materiais (sacos de areia, cimento, madeiras), não os deixe em contato direto com o chão por muito tempo, esses materiais absorvem a umidade do chão e acabam perdendo parte da sua eficiência. Não os deixe na área externa descobertos pelo mesmo motivo, humidade.
  2. Em qualquer trabalho relacionado com concreto, garanta que ele seja vibrado de maneira correta e que tenha sua cura respeitada (para saber mais acesse o link)
  3. Nos levantamentos de alvenaria e reboco confira se as paredes estão no prumo, isso quer dizer, alinhadas, nada de paredes tortas ou embarrigadas. 
  4. Em casos de assentamento de revestimentos, converse com seu mestre de obra ou confira no seu projeto a sua paginação e o tamanho das suas peças para ter o menor número de cortes nas peças do revestimento.
  5. Sempre faça questionamentos quanto ao quadro de distribuição elétrica, peça que nenhum disjuntor tenha chance de ter sobrecarga.
  6. Quanto a pintura, priorize sempre tintas de marcas conhecidas, essa parte tem um valor percebido muito alto, então, não vale a pena economizar. No caso de reformas e tintas sobre tintas, use tintas foscas, elas costumam não ter uma reação negativa ao serem aplicadas em cima de tintas anteriores.

Elenque as atividades com o profissional que está te acompanhando e supervisione com ele.

10.Entrega.

Logo no início falamos sobre planejamento e sobre o cronograma, sabemos que durante a obra teremos alguns imprevistos e às vezes podemos nos perder um pouco nos prazos. TENHA BEM CLARO O DIA QUE SUA OBRA DEVERÁ TERMINAR. Não existe sensação pior do que a de, faltar alguma coisa ou a de não terminar nunca. Todo projeto deve ter início, meio e fim bem definidos.

Acontece de no final do processo, você e os seus prestadores de serviço estarem de certa forma, desgastados, mas isso não é justificativa para pendências. Deixar de executar alguma etapa da obra ou da reforma pode ser o fim daquele sonho. O que isso quer dizer? provavelmente você no futuro, terá outras prioridades de deixar aquilo de lado. Tudo tem o   seu tempo e seu momento, e esse é o momento da sua reforma. Dependendo do caso, sugerimos até que finalize seu contrato com quem estiver trabalhando e contrate uma segunda equipe apenas para os ajustes finais, eles possuem um senso de urgência maior que com certeza te dará uma data final.

Essa é a sua última oportunidade de fazer os ajustes finais, lembre-se que reformas e construções são investimentos a longo prazo e sua próxima reforma será apenas daqui a 5 ou 10 anos, e no caso de quem está  mais velho, essa pode ser sua última reforma, então priorize bons acabamentos e coisas que não irão te dar dor de cabeça no futuro. 

Esperamos ter ajudado! 

Boa sorte na sua reforma e para qualquer dúvida, estamos aqui para te ajudar!

× Fale com o Cocada